NOVO UNIFORME ESCOTEIRO

Foi lançada agora a tarde a nova indumentária escoteira, no XIX Congresso Escoteiro  em Recife.

F.A.Q. respondidas na apresentação:

O uniforme cáqui fica. Cobertura e calçados livres. O cinto fica. Costuram-se os mesmos distintivos, do mesmo jeito.  Azul para o jovem, de lobinho a pioneiro, e verde para adultos.

Tem camiseta, gola pólo, camisa, jaqueta, calça que destaca as pernas e vira bermuda, bermuda e saia para os grupos definirem suas escolhas e gastos. Cortes e feitios masculinos e femininos.

27042013638

 

27042013621

27042013626

27042013630

27042013636

27042013640

27042013642

27042013643

27042013647

27042013650

27042013651

27042013653

27042013654

 

27042013648

 

27042013655

About these ads

About mrvolkweis

Escoteiro no Grupo Escoteiro Chama Farroupilha 183 RS.

Posted on 27 de Abril de 2013, in Filosofia do movimento, Histórias do Escotismo and tagged , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink. 52 Comentários.

  1. Gabriel Bergamini

    Olá, meu nome é Gabriel e sou do Grupo Escoteiro K2 de São Paulo!
    Meus parabéns pelas fotos, mas se aceitar minha critica construtiva, o nome é Vestuário que veio para substituir o Traje, a nacional está recebendo muitas criticas nesse sentido.
    O “Uniforme” oficial ainda é o caqui.
    SAPS, parabéns pelo blog!

    • Caro Gabriel,
      Na verdade, esta questão da nomenclatura é irrelevante. O Conselheiro Nacional Márcio Albuquerque, atual presidente do CAN e ex-membro da Comissão Nacional de Imagem, é sem dúvida, uma das pessoas que mais trabalhou nesta nova vestimenta. Ao ser publicamente questionado sobre isto na apresentação, ele foi muito claro na resposta a todos os presentes:
      “- Chame como você quiser, como se sentir mais a vontade.”
      Certamente, isto não fará diferença.

  2. Antonio Gomes de Araujo

    Lamentavelmente vemos jovens que não se parecem com escoteiros usando modelitos de um esperado Uniforme que mais uma fez parece que não sai das parcelas de desfile para ficar, o que vejo é só mais uma tentativa. O velho chefe que parecia feliz com o “Novo Uniforme” – VERDE – copia de um pais que invejamos mas não queremos que os outros saibam, que pena pois ele ostentava o colar da IM, com um lenço que não era o de Gilwell, e além de ter um anel de um jovem escoteiro… que pena !

    Ch. GOMES

    • oi meu nome é Rômulo Barros estou de pleno acordo com o Sr.Antonio Gomes de Araujo,e vejo também que as origens do escotismo estão sendo deixadas para traz,mas na verdade nenhum Grupo escoteiro é consultado sobre o assunto,servimos apenas para cumprir exigências bobas e sermos obrigados a seguir regulamento vagos fora do que realmente é ESCOTISMO.S.A.P.S

      • Amigos,
        Independente da questão do uniforme, TODO grupo escoteiro tem direito a no mínimo 2 delegados na Assembléia Regional, que é de graça. Lá é o fórum para ser ouvido e debater. Se o grupo não foi ouvido, deve cobrar dos seus delegados locais.
        Na mesma assembléia são escolhidos os delegados dos estados à Assembléia Nacional (também sem taxas) e qualquer um pode concorrer, nem precisa ser delegado de grupo, basta estar registrado. Este, o fórum nacional para ser ouvido e debater.
        Precisamos cobrar dos delegados dos nossos grupos se não estamos tendo voz. Falar fora dos canais oficiais não faz eco.
        Reforço que isto não é apenas para o uniforme, é para tudo que não concordamos. A queixa tem que ser pelo caminho oficial para sermos atendidos.
        SAPS,
        Maurício

      • E pagar a taxa do registro anual…

      • Gabriel Maciel Ribeiro

        meus irmãos. o que acredito que vcs não estão vendo é que é uma forma de modernizar o uniforme com um pé no tradicional. voltamos a ter um uniforme com utilidade, como nos idos dos anos 80 e 90 no saudoso uniforme caqui. eu pessoalmente gostei muito da nova vestimenta e estou ansioso para usa-la.

        SAPSMP

    • o uso do colar de IM não é obrigatorio somente com o lenço de Giwell … se o senhor procurar irá encontrar facilmente que o uso do lenço é facultativo e RECOMENDADO em grandes ocasiões.

      sobre o arganel, aquele não era o lenço do senhor fotografado, portanto não deve ter tido o trabalho de tirar o seu próprio para tal encenação!

      tanta coisa util a se preocupar e esse é seu pensamento? lamentavel!

    • Um chefe do meu grupo não usa o lenço de Gilwell,mesmo tendo conquistado, pois nosso grupo adota o lenço preto em sinal de luto, isso é opcional…

    • VC ESTA CERTO!

      APENAS PARA DEIXAR CLARO O ESCOTEIRO PERDEU MUITOS NAS ULTIMAS DECADAS.

      1- os uniformes deveriam ser padronizados entre modalidades da terra ar e mar (caqui, branco e azul) essa palhaçada q fizeram com o escoteiro esta matando a organização

      2- a um tempo atras escoteiros da terra ar e mar nao precisavam se alistar nas forças armadas aos 18 anos.. por decreto presidencial pois ser escoteiro ja era servir aos pais.

      3- nas propagadas ate os anos 90 quando era pro publico infantil sempre tinha um escoteiro como na do danoninho dos anosa 90 tinha um lobinho pois isso dava credibilidade ao produto. lobinhos eram crianças modelos.

      4- uniformes padronizados e sérios da cor da modalidade alem de bonitos e baratos eram um exemplo de como a organização era seria.. militares, medicos…. todos q tem uma causa tem um uniforme.. o traje foi uma piada.

      5- muitas pessoas q nao foram escoteiras assumiram a ueb e as regioes.

      6- escoteiros eram uma força auxiliar do pais.. quando tinha calamidade publica escoteiros eram colocados apostos caso os militares exercitos marinha bomberios nao dessem conta. hoje escoteiros vao pra casa correndo quando tem uma calamidade.

      7- a ueb era uma organização espeitada e ouvida pelo senado e pro presidente.. hoje a ueb nao tem controle de nada.. outras potencias escoterias andam surgindo por ai.

      em fim poderia falar ate amanha de como a ueb viram uma ong como outra qualquer… ou ate pior.

  3. muito simples mauricio cobrar de delegados que nem todos os grupos mandaram pois somos voluntarios que trabalhamos temos familias filhos entre tantos outros afazeres .custa caro participar de congessos ..é mais barato uma consulta as bases por email ou mais amplo ainda pelas redes sociais..que ate os lobinhos tem acesso..modernizar é usar novos meios de comunicaçào para ouvir ..mas creio nao ser essa a prioridade…

    • Sergio Souza Filho

      Primeiro ponto, os jovens foram consultados, pois foi feito uma pesquisa no Joti sobre esta mudança.
      Segundo ponto, a assembléia e Gratuita e todos os estados, inclusive a nacional, facilitando que todos possam participar.

  4. Desculpe em um universo de 80.000 escoteiros,somente 4.500 representa o interesse coletivo?pois este é o numero de escoteiros consultados aproximadamente.

  5. Eduardo Valadares Goulart

    Gostei muito da nova vestimenta, é moderna, pratica e respeita a estética típica de um uniforme escoteiro.

    O novo vestuário veio para substituir o azul-mescla, só por isso ele é bem vindo! Dou adeus ao azul-mescla com imenso sorriso no rosto. Não fará falta. O azul-mescla nunca foi e nunca será um traje adequado ao escotismo brasileiro.

    Meu grupo utiliza o traje azul-mescla, nunca me acostumei. Vendo aqueles jovens com a malfadada bermuda ou calça jeans, cada uma de um modelo e corte diferente, sinto saudades dos meus velhos tempos de lobinho e escoteiro … a 30 anos!

    Entendo que a UEB foi AMADORA na divulgação do novo vestuário. Faltou mobilização e divulgação. Deveriam ter anunciado o desfile com mais antecedência, esclarecido antecipadamente as regras de uso, informado as condições de comercialização. Criaram incertezas que superaram em muito a expectativa pelo vestuário em si.

    Esse amadorismo não é só típico da UEB, as instituições independentes também sofrem do mesmo mal (na verdade pouco diferem da UEB).

    O próprio desfile foi realizado em clima excessivamente descontraído, improvisado mesmo. Confundiram um desfile de moda com a apresentação de um vestuário escoteiro. Isto suscitou uma série de críticas que poderiam ter sido evitadas. Li muito mais críticas às blusas para fora da calça e à bendita sandália do que comentários (positivos ou negativos) sobre o novo vestuário. O mínimo de seriedade e profissionalismo poderia ter evitado toda esta confusão.

  6. Tira logo o lenço, os caras tão parecendo que vão a praia.

  7. Como ter uniformidade com 21 tipos de uniformes?

    A polo faz parte das 21 possibilidades de uniformização para manter a uniformidade….só rindo….Numa tropa de 21 escoteiros poderemos ter 21 uma possibilidades de combinação, inclusive camisa para fora da calça e sandália……

  8. A UEB perdeu e muito com esta mudança.Transforma o uniforme em um carnaval.Onde já se viu um monte de estilista do Senai bolar o uniforme? Sandália??? Acampam em campos de futebol e montam as pioneiras na trave do gol?

  9. O jovem não precisa saber mais usar um canivete ou dar um nó, mas pode vir de qualquer jeito mesmo, até de chinelo para se meter a fazer pionerias no mato!!! …………..

    os caras são geniais!!!

  10. Por favor alguém peça para esse bando de dirigentes, ler Scouting for Boys!!! e se não entenderem inglês, podem ler escotismo para rapazes, mesmo!!

    Daqui a pouco vão querer proibir fogo de conselho e fazer uma balada porque é mais moderno. Onde estão os dados da referida pesquisa realizada com os jovens? Que jovem vai querer fazer um bivaque com chinelo?

  11. Escoteiro não é desfile de modas, é coisa seria, virou uma completa bagunça. E um uniforme carrega todo um sentimento, de conquista, de amor, de mostrar pro mundo nossa disciplina, nosso amor, e etc. Esses uniformes para fora fazem B.P. Revirar.
    Cadê o espírito escoteiro? O meião que protege, o cinto que ajuda muito. O jovem vai quase despreparado pro acampamento.

  12. A UEB segue, na medida exclusiva de seus interesses, um padrão de modernização que um punhado julga conveniente. Dentre as várias possibilidades de alavancar o escotismo, como campanhas direcionadas ao público adulto, a UEB centrou-se em duas coisas: favorecer dois dirigentes no desenho de uma marca e confeccionar 21 configurações de traje para aumentar a receita associativa.

  13. Camisa para fora da calça, calçado de qualquer cor, sem cinto, sandália hahaha…………….. piada, parece desleixo.
    Isso tudo o jovem já tem fora do movimento, a ideia é apresentar algo diferente do que eles tem. Descaracterização total do movimento.

  14. Quando eles tiverem grupo escoteiro em área carente eles param com essa palhaçada de ficar trocando de uniformes e seguir o grande mentor BP .

  15. Além do VESTUÁRIO ( não posso usar uniforme pq senão posso ser repreendido) vamos mudar o nome tbm.
    De escoteiros para carnavaleiros. A UEB cada ano que passa aumenta seu descrédito. Nosso movimento já perde jovens e crianças todos os anos e agora isso, ridículo.

  16. Como as crianças tendem a se adaptar a aquilo que recebem, alguns dirigentes mascaram essas decisões monocráticas usando como égide a figura do jovem (“pensamos nos jovens!”) ou o pueril argumento de que “o traje é bonito, então se justifica”.

    Percebam que não há qualquer orientação às novas unidades locais ou às que estão por chegar sobre o que devem comprar. Não falam sobre a etiqueta de exclusividade deste novo traje, o que configurará, certamente, em cartel e acabará por eliminar uma prática comum das unidades locais em recorrer às costureiras para baratear essa uniformidade.

  17. Mauro Luis da Cunha Machado

    Parabéns, finalmente um uniforme prático e bonito, acredito que um uniforme deve se adaptar as circunstâncias e essas combinações são ótimas. Sou guia ambiental e observador de aves entre outras coisas e muitas vezes uso chinelo nas caminhadas, nunca me acidentei nem fui atacado por cobras, aliás quando vejo alguém de botas na mata, normalmente é um destruidor, que usa e abusa da natureza e volta p/conforto da sua casa.Lembro também que os índios andam nus e de pés descalços na mata a séculos, Se fosse criar um uniforme para andar na mata seria esse com camisa de manga comprida, confortável, por cima da calça que pode virar bermuda, Acredito pelos comentários anteriores que são de pessoas que acampam uma vez por ano em um sítio com todas as comodidades e querem um uniforme para desfilar ou acalmar o recalque de não serem militares. Em tempo, disciplina e educação não vem junto com o uniforme.

    • Enviado em: 26/04/2004

      O uso correto do uniforme e a elegância na aparência de cada membro do escotismo, individualmente, torna-o um motivo de crédito para o nosso movimento.

      Por outro lado, um escoteiro desleixado, mal vestido, pode causar, aos olhos do público, uma péssima impressão sobre todo o movimento.

      Valores contidos no uniforme.

      O uniforme tem muitos valores, é sinal de pertencer ao movimento mundial que é chamado “Escotismo”, é um chamado a essência a simplicidade e a praticidade, não querendo seguir a moda.

      Cada vez que caímos na tentação de “deformar o nosso uniforme”, nos afastamos do sentido de fraternidade do “Espírito Escoteiro”.

      E a nossa individualidade?

      O uniforme é para constar nossas características importantes, não fazendo desaparecer no mundo nossa individualidade.

      A individualidade é demonstrada pelas metas realizadas, as habilidades aprendidas, as capacidades demonstradas, as experiências feitas. A individualidade é demonstrada através dos distintivos conquistados.

      Uniforme
      “Não é Escoteiro porque se usa uniforme… Se usa uniforme porque é Escoteiro”.
      Com esta importante e transparente frase, quer se dar a entender a todos que o uniforme é a extensão das insígnias que nele se colocam.

      O uniforme não é somente um instrumento para uniformizar o escotismo, ele representa os valores contidos no movimento.

      A imagem do escotismo e também individual de cada membro é comunicada através do uniforme. Não devemos usá-lo grosseiramente desalinhado das regras.

  18. Caro Machado,

    Entre motorista de transporte público e uma mescla de bandeirante, desbravador e boyscout BSA, com todo respeito aos motoristas, fico com essa última. Se vamos estar discutindo a cor dessa roupa, podemos fazê-lo tranquilamente ao redor de uma fogueira, assando um pão de caçador ou cozinhando um ovo no espeto. Vamos falar de ripstop, de passadeiras etc.

    Agora, afirmar que isso é uma “modernização”, “um marco de atualização do escotismo brasileiro” é, como pouco, prática de lavagem cerebral. Afirmar de boca cheia que “eu perguntarei ao jovem!”, mas ser conivente com uma direção nacional que não realizou consulta alguma junto a estes mesmos jovens e adultos, e que vem levando o assunto na surdina desde 2010, é um erro absurdo de raciocínio.

    A UEB segue, na medida exclusiva de seus interesses, um padrão de modernização que um punhado julga conveniente. Dentre as várias possibilidades de alavancar o escotismo, como campanhas direcionadas ao público adulto, a UEB centrou-se em duas coisas: favorecer dois dirigentes no desenho de uma marca e confeccionar 21 configurações de traje para aumentar a receita associativa.

    Como as crianças tendem a se adaptar a aquilo que recebem, alguns dirigentes mascaram essas decisões monocráticas usando como égide a figura do jovem (“pensamos nos jovens!”) ou o pueril argumento de que “o traje é bonito, então se justifica”.

    Percebam que não há qualquer orientação às novas unidades locais ou às que estão por chegar sobre o que devem comprar. Não falam sobre a etiqueta de exclusividade deste novo traje, o que configurará, certamente, em cartel e acabará por eliminar uma prática comum das unidades locais em recorrer às costureiras para baratear essa uniformidade.

    Só para sua informação não sou militar, nem tão pouco acampo só fim de semana.

    E nas dezenas Inspecões que faço por conta do meu trabalho , auditar curso de Sobrevivência na Selva para formação de Comissarios de Voo, nunca vi ninguém passar o conhecimento de que se deve entrar na mata de chinelo de dedo……….isso é justamente o que não se deve fazer…………… isso é básico de quem entra na mata.

    Outra coisa não estamos falando aqui de indios que tem todos os seus estímulos cognitivos adaptados a mata, estamos falando de jovens na maioria das vezes bem urbanos.

    Um abraço.

  19. Mauro Luis da Cunha Machado

    Bom,de qualquer forma o uniforme cáqui permanece, ainda tenho o meu, feito por costureira, em 1980, o original era muito caro. Talvez permanecer com o original para sede e formaturas e o novo para o campo, a questão é o custo. Com relação as decisões tomadas pela UEB concordo que deveriam ser mais democráticas, álias questiono o monopólio do escotismo no Brasil, acho pelo tamanho de nosso país poderíamos ter outras federações para não ficarmos presos a essas decisões. Parabéns Paulo pelo teu trabalho, deve ser interessante, com relação aos pés no chão isso é assunto para argumentar ao redor de uma fogueira, com bastante tempo, um abraço.

  20. Infelizmente tudo vira comercio, li ai acima que realmente fica dificil cobrar do delegados, o pessoal da UEB tem seus gastos cobertos pelas receitas, mais enfim, é como falaram , somos voluntários, temos familia pra sustentar, e se eu não me engano tem uma norma que diz que o grupo tem que dar uniforme para aquelas crianças que não tem condiçoes, mais isto não pode ser diivulgado né?, outra coisa , aquela quantia que pra mim é absurda de todo ano temos que pagar a UEB, será que é por isto que cada ano que passa esta caindo o numero de escoteiros no Brasil???? Agora querem mudar tudo, pq sera?? LAMENTAVEL…..

  21. Ah e outra coisa sou diretor de uma empresa que fabrica uniformes, e poderia fornecer uniformes para todos os grupos sem ter que passar por um atravessador, cairia pelo menos 40% do valor vendido…

  22. Entendo sobre as divergencias de opiniao sobre o novo uniforme e concordo com a maioria delas. Primeiro ponto. Quem deveria ser consultado sobre os novos uniformes, são os chefes mais antigos e que foram membros em épocas passadas onde o escotismo era bem diferente de hoje. Onde o escotismo era simplesmente escotismo, amor a patria e ao proximo. Hoje vemos um escotismo feito de imagem e poucos membros. Se a opinião considerada for só de membro juvenil, teremos um uniforme com decotes escandalosos e shorts coloridos, tenis tipo o ultimo modelo de corres berrantes. Este uniforme ficou legal, suas disposições e combinações ajudam as diferentes regioes do país e suas caracteristicas. Também nao gosto do azul mescla, que dá impressao que estamos mendigando aos escoteiros do ar o uniforme deles. Não concordo com a diferenciação de cor para chefes e membros. Escotismo tem uma finalidade e com certeza não é mostrar quem é mais e quem é menos. Deveriam ter REcolocado sutaches (tarjetas) com o nome do membro, pois ajuda chefes e até os proprios membros de grupos numerosos. A gola sim, deveria e deve ser mudada pois ninguem em sã consciência abotoaria aquele botao de cima que enforca pra poder colocar o lenco. Gostei da cor. Verde. Azul nao, Azul escuro é pra lobinho. Estes sim tem de ser diferenciados e de preferencia com uma cor que os torne mais visiveis em atividades maiores ou em campo aberto. A disposição dos bolsos ajuda na aplicação dos distintivos. Mas o principal, nao foi visto nesta apresentação. A APRESENTAÇÂO. Qd era pequeno aprendi que quem chegava com uniforme por fora da bermuda ou com o lenço amarrado na ponta, não queria ser escoteiro, pois nao dava exemplo pra ninguem. Viemos do militarismo, fomos criados por um Capitão de Exercito, com disciplina e tecnicas militares, com o uso de uniformes como se militares fossemos, com espirito de equipe e de amor a patria. Hoje vemos o simbolo máximo do escotismo nacional virar um logotipo de embalagem de produto eletronico… e vemos nosso escotismo que defendi desde 1985 ir pruma vitrine para ser apreciado mas não tocado. Descupe, mas é o que eu e grande parte de quem viveu o escotismo em sua essencia estamos vendo agora. Boas vindas ao novo uniforme, mas que venha com instruções para usar.
    CH Jean Pierre 19MG

  23. Vejo tambem comentario de guia ambiental indicando uma caminhada na mata de chinelo… Eu prefiro uma bussola de guia do que ter que carregar um “guia ambiental” que pisou de chinelo numa pedra sem querer e virou o pé, cortou, sei lá. Guia ambiental que induz ao uso de chinelo no mato deveria ser fiscalizado. Não somos guias ambientais. Fazemos atividades diversas e nao observação de arvores apenas. Indios andavam descalços. Pois é, até conhecerem os calçados. Imagina o exercito numa guerra na mata calçado de chinelo… Observador ambiental é uma coisa, naturalista sem compromisso com qualquer coisa é outra. Desfile tem que ser sim bonito. Qualquer membro juvenil gosta de ver suas fotos num desfile de 7 de setembro. E uniforme é uniforme e calçado é calçado. Não é pra enfeitar o pé, é questao de segurança. Estamos lidando com crianças e jovens que tem pais e maes que preocupam e que confiam em nós chefes os seus maiores tesouros. Nao arriscaria entregar um filho sequer com um furo de espinhos no pé só pq um natureba afirma que usar sandalia no mato é seguro. Eu tenho minhas responsabilidades e sei como evitar acidentes. E uma das formas de evitar acidentes é justamente o calçado apropriado.

  24. Mauro Luis da Cunha Machado

    Meus caros amigos, apenas quis dizer que não vejo mal algum em usar sandálias em uma atividade, visto que a maioria delas são nas sedes, é óbvio que nunca em um desfile ou solenidade. Antes de me chamar de irresponsável, saiba que nos grupos que guiei até hoje jamais tive um acidente, nem nunca aconselhei ninguém a andar descalço. Andar descalço na mata é uma arte, que leva tempo para aprender e só faço trilhas assim com pessoas que sabem faze-lo e infelizmente são poucas, Caminhar assim é um prazer e poder pisar no barro, na areia e as vezes na água não tem preço. Nas palestras que dou sobre a mata atlântica sempre saliento que viramos as costas para nossas matas e rios, vemos elas como depósito de lixos , algo para ser “modificado” ou perigoso. Nossos jovens tem que conhecer nossas plantas, nossa fauna para que possam preservá-las, e quando digo conhecer não é algo superficial. Sou muito cuidadoso com relação a segurança e até criticado por isso, a alguns meses atrás me recusei a fazer um rapel por considerar a ancoragem em árvores insegura. Também sempre levo um socorrista em meu grupo entre outras coisas. Não conheço nenhum índio que goste de usar sapatos, nem minha mãe que conviveu com alguns grupos no Tocantins. Os colegas conhecem algum índio? Já conviveram com eles? Não sei o que um exército em guerra na mata tenha a ver com o assunto, mas já que citou saiba que unidades vietnamitas que expulsaram os americanos na guerra do Vietnã usavam sandálias e unidades de elite das forças armadas americanas tem a liberdade de usar tênis e sandálias de acordo com a missão. A anos tenho compromisso com a preservação da mata atlântica em inúmeras ações práticas e educacionais, com a educação de jovens e adultos, com o escotismo, que considero um dos melhores métodos educacionais e principalmente com os pais que confiaram seus filhos a mim.Lamento ver em muitos grupos chefes preocupados com detalhes e não com a educação, Acho que o mal exemplo de muitos chefes por aí, que fumam e bebem,bem mais prejudicial para o futuro dos jovens do que um espinho no pé.

  25. Solange Cassia do Santos Silva

    Onde podemos comprar o novo uniforme escoteiro?

  26. esse uniforme parece mais para usar em um desfile e nao para acampar no mato onde tem insetos , cobras e outros bichos perigosos pois isso sim é ser escoteiro

  27. Lindo, fica muito mais elegante, Tira a imagem de imbecil que nós temos!

  28. O novo uniforme é inteligente e pratico. Permite a uma inclusão melhor do escotismo em outros espaços. Por exemplo: no último sábado eu fui direto da reunião para um aniversário infantil em um Buffet aqui em Belo Horizonte.
    Meu uniforme era tão destoante, com o século XXI, que virei o centro das atenções. Não era minha pretensão! Agora eu entendo porque os jovens chegam com outra roupa no grupo e la eles trocam para o uniforme e sei que é assim, em grande proporção, no Brasil todo. Andar nas ruas com o atual uniforme é desconfortável perante o tamanho chamativo.
    Há aqueles que dirão: – Ah!, ser notado é bom, isto divulgará o escotismo!… Minha teoria é ao contrario, usar um uniforme menos destoante, fará com que nosso efetivo use por mais tempo e em mais oportunidades. Há jovens que não entram no escotismo, pois não se sentem inspirados a usar o uniforme.
    Irmãos escoteiros, proponho romper com o tradicionalismo e dar boas vindas a modernidade e novos conceitos. O antigo uniforme é uma marca, mas que sempre nos acompanhará, mas o futuro é nosso!

    Sempre Alerta

    Marcelo Emediato
    Diretor Tecnico – gesvim.com.br

  29. Concordo plenamente Marcelo Emediato,o escotismo é um movimento em movimento,se a velha guarda escoteira não quiser adotar o uniforme com sandalhas continuem com tênis ,botas etc… não gostou da camisa para fora coloque para dentro,mas fazer um jovem usar um uniforme quente em dias quentes e frio em dias frios,sinto muito mas não dá, meia até a canela????? melhor calça não?por favor não queiram comparar o clima inglês do século passado com os verões brasileiros,poxa se B.P era um um homem tão a frente do seu tempo,se o Movimento escoteiro se diz tão jovial por que não usar o novo uniforme?encarem esta nova etapa como um novo aprendizado quando trabalhamos com jovens temos que ser mais “FLEX”,o movimento escoteiro é para todos inclusive para quem não quer usar meias até as canelas,sou professora de judô,tenho alunos de todas as idades e quando falo para eles sobre escotismo a primeira coisa que zombam é do uniforme,muitos jovens saem do movimento,por causa do uniforme,uma vez quando eu era criança eu e minha prima passamos em frente de um ônibus escolar de excursão me lembro como se fosse hoje o ônibus inteiro tirando sarro da gente,foi super constrangedor,nunca tive vergonha do meu uniforme,mas naquele dia me senti ridícula,coisas de menina!
    É por essas e outras que sou a favor das mudanças,agora é a vez da nova geração de escoteiros cabe aos irmão mais velhos guia-los e não empurra-los!

    Um abraço a todos!

    • A despeito de toda a polêmica brasileira e para aqueles que invocam a “tradição do escotismo”, Heather Baden-Powell no seu livro “B-P, A Family album” escreve na pg 108, 3°. parágrafo, quando descreve uniformes escoteiros de outro país, observados em 1935 (porém este livro foi escrito em 1986, o que reforça a longevidade da opinião), por ela, Baden-Powell, Olave e sua irmã Betty: “Uniforms – no matter where in the world – most constantly change with the times.” Ou seja, “Uniformes – não importa onde no mundo – devem constantemente mudar com os tempos” (tradução livre). Pode haver tradição maior que a reflecção e a opinião de Baden-Powell e sua filha durante uma longa viagem por diversos países toda direcionada ao escotismo?

      • Os escoteiros usam o mesmo uniforme a mais de 100 anos e nunca teve problemas com isso!! Alias, tradição ou não, na minha opinião o uniforme deve ser como BP idealizou e usou!! Respeito a opinião de cada um e acho que no Brasil, como um país fisicamente grande e de vários climas, nada mais justo de que região faça sua adaptação no uniforme, desde que não altere suas características básicas!! Esse “novo” uniforme mais me parece uma copia dos irmãos Norte-americanos!! e pelo visto não agradou muito nossos irmãos tupiniquins! Imagina um medico deixando de usar branco e passar a usar preto!!! tradição??? lógico, essa é a marca do escotismo!! quem não gosta, que invente outro movimento e use oque quiser!! S.A.P.S!!

      • Fabio, não há necessidade desta agressividade!

        Estamos apenas debatendo e gostaria de contribuir, assim como você.

        O escotismo brasileiro é realmente o que tem seu uniforme mais parecido com o de BP a nível mundial e temos proporcionalmente um escotismo sobremaneira fraco, relativo ao mundo. Onde há uniformes verdes, vermelhos, azuis e até amarelos. Há países que o uniforme escoteiro é apenas o lenço.

        Nosso uniforme não tem 100 anos, nem a UEB tem! A UEB só 70 anos, mas realmente não houve mudanças e por mim poderia continuar assim por mais 100. No entanto, estamos perdendo contingentes, chefes apresentam em suas tropas sem o uniforme, jovens não entram no escotismo por ter vergonha de usa-lo, nossos membros trocam o uniforme, em sede, antes e depois das reuniões para não desfilar com o mesmo na cidade e sei que isto é a nível nacional ! .

        Para mim o uniforme pode ser só o lenço, pode ser o uniforme de BP, o novo modelo, mas tem que ser uniforme, onde todos queiram usar. Mas definitivamente não é o caso; eu tenho 39 anos e estou no movimento entre minhas idas e vindas há 30 anos e desde de criança nosso uniforme não bem aceito. Há trinta anos ele já estava na hora de mudar.

      • Patricia Cardoso

        Disse tudo Marcelo Parabéns!

  30. eu escoteiro desde pequeno e apos viver algumas décadas vejo que o escoteiro esta se perdendo… vou lista o que vi o escotismo perder:

    1- pessoas que nunca foram escoteiras assumiram a UEB
    2- depois pessoas q nunca forma escoteiras assumiram as regiões
    3- e por últimos muitos “voluntários” que nunca forma escoteiros assumiram os grupos
    4- com isso, a meritocracia acabou.. agora escoteiros ganham etapas sem ter q provar que é capaz… e a UEB ainda justifica falando que é para não frustrar o jovem. (é piada??)

    5- acabaram com o escoteiro da terra e criaram uma palhaçada chamada escoteiro básico.. o que é ridículo.

    6- o uniforme devia ser simples.. caqui para escoteiro da terra, braco para o do mar azul para o do ar.. (poderia se o grupo quiser ate ter uniformes secundários como uniforme de embarque pro mar e uniforme social pro da terra)
    POREM ERA TUDO PADRONIZADO E EXTREMAMENTE BONITO E BARATOO!

    UNIFORMES REPRESENTAM UMA CAUSA, MILITARES, MÉDICOS,.. TODOS TEM UM.

    O TRAJE FOI CRIADO POR PESSOAS Q SAO IDIOTAS… E O PIOR OUÇO A UEB FALANDO Q ESCOTEIRO NAO TEM NADA PARECIDO COM MILITAR E NAO DEVE TER NADA PARECIDO.. O QUE É UMA LOCURA.. BP ERA MILITAR E NO LIVRO ESCOTEIRO PARA RAPAZES ELE FALA MUITA COISA DA PROXIMIDADE. SEM FALAR QUE A DISCIPLINA DO ESCOTEIRO FOI TIRADA DE LA.

    ENTAO NAO DEVIA TER ESSA PALHAÇADA… ESCOTEIRO É ESCOTEIRO E NAO FAZ MUITOS ANOS O PAIS ADORAVA E RESPEITAVA OS ESCOTEIROS..

    7- QUASE TODA PROPAGANDA DOS ANOS 90 VOLTADA PARA O PUBLICO INFANTIL TINHA UM LOBINHO COMO A DO DANONINHO, POR UM ESCOTEIRO LA MOSTRAVA CREDIBILIDADE..

    8- ATE OS ANOS 80 OS ESCOTEIROS NAO PRECISAVAM SE ALISTAR NO EXERCITO OU NA MARINHA AOS 18 ANOS.. POIS SER ESCOTEIROS JA ERA SERVIR A PÁTRIA…

    9- SE PROCURAREM EXISTIE DECRETOS PRESIDÊNCIAS QUE AJUDARAM OS ESCOTEIROS.. E OS ESCOTEIROS ERAM A ULTIMA FORÇA AUXILIAR DO BRASIL.. QUANDO TINHA CALAMIDADE PUBLICA.. ESCOTEIROS ERAM COLOCADOS APOSTOS PELA UEB.. E AVISADO AO PRESIDENTE QUE BASTAVA UM CHAMADO E ELES IRIAM.

    HOJE A UEB NAO TEM CONTROLE DE NADA… E NINGUEM DA UM PINGO DE VALOR.

    UNIFORME REFLETE E INSTITUIÇÃO.. ISSO É FATO.,

  31. No inicio dos anos 80 fui escoteiro, tinha nessa época os meus 15 anos, um irmão Escoteiro comprou em São Paulo o uniforme caqui completo etc.
    Notem hoje não sou mais jovem…
    Um uniforme conforme apresentado tem inumeras possibilidades para diversos gostos e personalidades, observem a vestimenta das meninas elas agora tem opção, eu usaria com certeza a roupa daquele veterano com a jaqueta e a calça comprida, em contrapartida não voltaria ao movimento se tiver que usar o uniforme que usei aos 15 anos!!!
    No mundo inteiro observo que os uniformes de Escoteiros não tem uma padronização nem de corte nem de cores.
    Preocupem – se de se fortalecerem em seus núcleos, sejam atuantes na coletividade, Façam a diferença
    Escoteiro é ação !!!

  32. Na minha opinião (de guia, no movimento desde lobinha) a UEB acertou e errou no uniforme.

    Muitos membros mais velhos esquecem que, desde o princípio, o escotismo foi criado PARA OS JOVENS, e o próprio fundador defendia que o movimento deveria mudar na medida que os jovens mudassem. O uniforme mescla atual, além de não ser la muito prático, é obsoleto e não se adapta bem aos diferentes climas do país. O uniforme/traje/qualquer termo de sua preferência lançado agora (principalmente o lenço nacional) é muito mais bonito e atraente para os jovens, fator que não deveria estar sendo ignorado, porque a imagem é sim muito importante, e o uniforme atual (principalmente o azul mescla) parece meio “perdido no tempo”, além de ser mais prático. As 21 variações são interessantes justamente para que o uniforme possa se adaptar ás diferentes regiões do país. Nesse caso, na minha opinião, cada regional deveria, levando em conta as necessidades climáticas – definir sua combinação padrão. E, como foi citado acima, a cor diferente para os lobinhos é muito útil para identificação, especialmente em grandes eventos.

    Porém, também discordo de algumas coisas. O primeiro (e a maior reclamação de todos os que conheço) foi o processo de implantação desse novo uniforme. Ninguém perguntou aos jovens (a pesquisa nunca foi divulgada, então, em termos práticos, ela nunca existiu) e, olhando para as manifestações, os próprios jovens discordam. A falta de um padrão razoável – como camisa para dentro da calça – passa uma impressão de desleixo e de falta de cuidado. A diferenciação dos uniformes de membros e chefes – coisa que o próprio BP condenava, falando nisso – passa uma impressão de hierarquia que não deveria existir porque, afinal, nós não estamos no Exército. O preço é absurdo e injustificável – pensem, uma família grande de escoteiros, ter que comprar novos uniformes a cada três ou quatro anos? – além de inviabilizar a presença de escoteiros de menos posses por não conseguirem adquirir o uniforme novo, o que contraria em muito a lógica escoteira de integração e irmandade.

    Enfim, a UEB acertou em alguns pontos, mas errou em muitos outros. A falta de democracia, de ouvir os associados, foi um problema sério. E, realmente, seria muito interessante a existência deo utras organizações escoteiras no país, para “variar um pouco”e atrair outros tipos de jovens e adultos para a nossa grande família.

    SAPS

  33. Jean Pierre 19MG

    Senhores, vejo um gama de discussoes sobre o uniforme. Todos os pontos são fatos a serem repensados. Mas um principalmente me chamou a atenção. Noto que pessoas alheias ao movimento ingressam e acabam por decidir como será o futuro do movimento. Noto também que algumas destas pessoas atribuem seus pensamentos individuais para atribuir uma qualidade ao movimento. Ou seja, o que afirmo é que pessoas que tem seus argumentos contra o militarismo, querem disvincular o escotismo deste. Seja pelo exemplo do regime militar, ou por casos que “ouviram” falar do regime militar. mas não levam em conta que o escotismo é sim, um movimento para militar, ou seja paralelo ao militarismo, criado por militar, ensinando doutrinas militares e que se desvincular, extingue-se o movimento. O primeiro uniforme escoteiro mundial, era exatamente o mesmo uniforme usado pela infantaria britanica na 1 guerra mundial. motivo: tinha de sobra e nao custava nada aos membros. O movimento escoteiro foi idalizado e criado dentro de uma companhia de infantaria por um Capitão de Infantaria que adaptou o Código de Ética e Disciplina dos Militares para aplicação em crianças e jovens. Os escoteiros eram treinados para substituir os combatentes em afazeres dentro dos batalhoes enquanto os combatentes estivessem fora em campanha. Em todos os países, os escoteiros, assim como os militares, aprendem que um dos seus maiores compromissos é com a PATRIA, menos no Brasil, onde este deixou de ser executado pelo escotismo. Enfim, vejo entidades assemelhadas ao escotismo, vinculadas a uma igreja, terem os uniformes impecaveis e mais parecidos com o nosso e vejo também, nos escoteiros abdicando do nosso uniforme para parecermos menos com o que somos. O uniforme nao ficou ruim. alias, ficou legal, mas primeiro, consulte os membros juvenis, principalmente os pais que acompanham os filhos e que com certeza, colocaram o filho no movimento pelo que o Uniforme representa. Ouvir os chefes que viveram o escotismo desde os primordios é essencial também. Afinal, estes é que sabem quais as necessidades de um uniforme. As atividades deveriam ser como antigamente, pois jovem gosta de aventura, de aprender, de mostrar que sabe sair de situações onde pessoas comuns pediriam ajuda. Ou então continuaremos a perder membros para a internet e os videogames. Em 1992, meu grupo (meu é maneira de falar) tinha 2 tropas de escoteiros completas, 1 tropa de escoteiras, 2 alcateias, uma tropa senior, uma tropa guia e um clã com 16 membros, mais 3 chefes por alcateia, 2 chefes por tropa escoteira, um chefe senior, uma chefe guia, um casal mestre pioneiro mais 4 chefes administrativos que cuidavam da parte administrativa do grupo. Hoje temos uma alcateia com 30 crianças, uma tropa escoteira mista com 3 patrulhas de meninos e 1 de meninas, uma tropa senior mista com 4 seniores e 3 guias e um clã com um membro apenas. Veja que sem o militarismo que era a nossa origem e doutrina, deixamos de ser atraentes para os jovens.

  34. Quero comentar uma questão que nos distingue do regime militar: militares são instruídos, adestrados, e escoteiros são educados. Como chefes, devemos educar, além de instruir. Embora o escotismo tenha origem militar e tantas coisas comuns, o movimento escoteiro é uma entidade educacional, que está além das atividades de campo, de técnicas militares de sobrevivência, de salvamento e resgate. Aborda as atividades ao ar livre para educar por meio destas atividades, não sendo um fim em si mesmas. Algo contra o regime militar? Não, absolutamente. Mas trata-se de uma outra instituição, que possui qualidades próprias. Confundir escotismo com militarismo é aceitável apenas para pessoas que desconhecem os propósitos do movimento escoteiro.

    Sobre o uniforme, B.P. comenta em seu manual para chefes que não é o uniforme que faz o escoteiro. Mas concordo que alguns padrões deveriam continuar, como o uso de calçado ou tênis preto e camisa dentro das calças para apresentar o cinto, que agora também é opcional. Acho que o escoteiro deve ser garboso e ter orgulho de seu uniforme, em todos os detalhes. Lembro de minha excitação quando lobinho, em vestir o uniforme na véspera de minha promessa… Tive sensação semelhante ao comprar o novo uniforme de chefe. Particularmente gostei mais da mudança em si do que da estética do uniforme, pois a mudança (difícil para o conservador, naturalmente) mostra a dinâmica do nosso movimento, assim como a nova logomarca, belíssima, que atualiza a nossa imagem.

    Sempre Alerta!

    Diego de Assis, 15º GE Martim Afonso

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 4.759 outros seguidores

%d bloggers like this: