B-P, Um álbum de família

Baden-Powell, A family album, Heather Baden-Powell, Sutton Publishing, 193 p., 2007. Primeira edição publicada em 1986.

Escrito pela filha do meio de B-P e Olave, este livro trás um relato muito interessante do cotidiano da família, destacando muitos aspectos da vida familiar, de forma detalhada e muito romântica.

Facilmente adquirível pelo e-bay, com um custo inferior a R$ 40,00, incluindo as despesas postais. Destacam-se alguns pontos muito interessantes, sendo amplamente ilustrado, embora sem a mesma qualidade das fotos presentes na biografia “Baden-Powell”, de Tim Jeal.

A despeito de toda a polêmica brasileira e para aqueles que invocam a “tradição do escotismo”, Heather Baden-Powell escreve na pg 108, 3°. parágrafo, quando descreve uniformes escoteiros de outro país, observados em 1935 (porém este livro foi escrito em 1986, o que reforça a longevidade da opinião), por ela, Baden-Powell, Olave e sua irmã Betty: “Uniforms – no matter where in the world – most constantly change with the times.” Ou seja, “Uniformes – não importa onde no mundo – devem constantemente mudar com os tempos” (tradução livre). Pode haver tradição maior que a reflecção e a opinião de Baden-Powell e sua filha durante uma longa viagem por diversos países toda direcionada ao escotismo?

O texto segue descrevendo de forma cronológica, ano a ano, a vida cotidiana. Refere a mudança por 2 casas alugadas, Ewhurst Place e Little Mynthurst até a aquisição de Pax Hill, onde B-P morou de de 1918 até 1938.

ombros

B-P com Heather nos ombros

A montagem de um grande grupo de funcionários liderados por Mrs Wade e como Olave administrava todos com orientações sempre datilografadas. Assim como B-P ditava o livro Lições da Escola da Vida para ela datilografar, durante uma viagem de navio para a Austrália, em 1931.

O hábito de dormir na sacada do quarto de Olave, inverno e verão pois dizia que dormir dentro de casa o deixaria gripado. Executava sua rotina matinal de exercícios muito cedo, descia para o escritório para escrever ou estudar, onde havia uma maçã esperando por ele. Após aproximadamente duas horas de trabalho, subia novamente para o chá com Olave, antes do café da manhã, que seria perto das 8 horas.

O burro indirigivel e indiferente ao freio e as rédeas, chamava-se Nellie, engordou tanto que virou Barrel, e derrubou Heather, resultando em fratura do cotovelo esquerdo.

As histórias dos cavalos, particularmente Black Prince (também apelidado B-P), montado por Baden-Powell pela última vez em 1911, junto com Rei George V, para visitarem o Rally escoteiro em Windsor. Foi, então, oferecido a Lucy Kemp-Welch, artista de cavalos para servir de modelo e dez anos depois retornou, agora para Pax Hill, para ensinar as crianças a cavalgar. Formou-se um trio, que além de Barrel, incluia Toppy, outro cavalo. A afirmação frequente de B-P que para ser um bom cavaleiro é preciso cair pelo menos 80 vezes também é citada.

Descreve outras frases e particularidades do B-P:

“Nada é impossível, exceto por a pasta de dente de volta no tubo.”

“Nada é seu até que você tenha agradecido.”

Janelas da Pax Hill alteradas até o chão nos quartos, para apreciar a rua deitado nas camas.

O cuidado de guardar os selos da vasta correspondência recebida.

O costume de dar nome aos objetos, fossem carros, barracas, utensílios, etc.

O raro uso do telefone, e o número de Pax era “Bentley 8”.

A participação como membro hereditário da Worshipful Company of Mercers, fundada em 1394.

cavalhada

irmaos a cavalo

Os três irmãos a cavalo.

carro

camping

dance

Aulas de dança em Pax Hill

papa

B-P e Olave recebiam na propriedade para finais-de-semana escoteiros de diferentes lugares, em grupos. Reunia, após 21 anos do acampamento de Brownsea os participantes originais, que ainda se agrupavam nas suas patrulhas de origem, embora a Primeira Guerra Mundial houvesse provocado algumas baixas permanentes.

As narrativas das viagens em família por diversos destinos, como a África do Sul, Índia e pelo interior da Inglaterra com dois dos três carros da família, um deles puxando o trailer, apresentados todos juntos em uma das fotos acima.

A viagem para Kandersteg e o chalé que abrigava os trabalhadores do túnel Loetchberg e que estava abandonado deste a conclusão da obra. A fita inaugural foi oficialmente cortada por Misses Olave, e o prédio passou a ser chamado por todos de “Our Chalet”.

Como Olave organizou para 700 jovens uma viagem de navio por 3500 milhas por vários países europeus, hospedando-se em Ho-Ho e outra subsequente.

A grave internação cirúrgica que B-P sofreu no início de 1934, onde por mais de uma vez esteve em risco de vida e a sua gradual recuperação. Já no 4°. World Scout Jamboree na Hungria ele vinha apresentando sinais de cansaço e dificuldades que foram muito comentados pela imprensa, embora posteriormente tenha se recuperado amplamente.

A malária contraída na África em 1935 por B-P e Olave, durante uma longa viagem pelo continente quando estiveram em Nyeri (The Outspan Hotel) e iniciaram os planos de morar lá. E quando em 1937, ao completar 25 anos de casados, receberam de presente de Eric Walkers, o bangolô construído atrás do hotel para morarem. Foram inicialmente para uma temporada, voltaram a Inglaterra e novamente foram ao Quênia em outubro de 1938, planejando voltar na primavera de 1940.

O retorno a Mafeking com a família em 1936.

A importância da família real britânica para o desenvolvimento do escotismo.

A participação em seu último Jamboree em 1937, Holanda, o 5°. jamboree mundial.

O inicio da Segunda Guerra Mundial, quando Heather trabalhou como motorista voluntária e o passamento de B-P no Quênia.

suiça

peter robert robert II

Da esquerda para a direita, o Segundo Barão de Gilwell, o Terceiro Barão de Gilwell e o Primeiro Barão de Gilwell.

IMG_9197

Robert Baden-Powell (o neto), 3°. Barão de Gilwell, no 22 World Scout Jamboree, Inglaterra, 2007. O bebê da foto acima.

Sem dúvida, uma excelente leitura sobre a intimidade desta família que influencia um número cada vez maior de pessoas, revelando muitos detalhes do início e crescimento do escotismo.

About mrvolkweis

Escoteiro no Grupo Escoteiro Chama Farroupilha 183 RS.

Posted on 1 de Julho de 2013, in Histórias do Escotismo and tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: